Grandes Educadores

“O fim gradual das práticas educacionais excludentes do passado proporciona a todos os alunos uma oportunidade igual para terem suas necessidades educacionais satisfeitas dentro de uma educação regular” (STAINBACK; STAINBACK, 1999, p. 44).

Elisa Maria Machado Lima

Para Piaget a capacidade de elaborar pensamentos simbólicos e

abstratos é o diferencial da raça humana dos outros animais.

 

Piaget (1896-1980) foi um grande estudioso da psicologia do

desenvolvimento do século passado.

 

Sua formação em Biologia influenciou na elaboração de sua teoria epistemológica.

Desta forma, para Piaget a maturação biológica interfere no desenvolvimento cognitivo.

 

Portanto há estágios e adaptação no desenvolvimento cognitivo.

Assim sendo, Piaget acredita que o comportamento tem um controle efetivado pela mente através de esquemas.

Os processos utilizados pelo sujeito na sua tentativa de adaptação são

a assimilação e a acomodação.

Ocorrem de forma linear. A adaptação às novas observações e experiências consiste, para Piaget, em desenvolvimento cognitivo.

 

A adaptação passa pela assimilação, que molda para melhor encaixar as informações novas aos esquemas já existentes e pela acomodação, que promove alterações nas formas antigas de pensar e agir.

 

Esses dois processos necessitam um equilíbrio para que haja estabilidade

nestas estruturas cognitivas.

 

Piaget classifica os Estádios de Desenvolvimento:

 

Fase sensório-motor (do nascimento aos 2/3 anos) :

A criança desenvolve um conjunto de “esquemas de ação” sobre o objeto, que lhe permitem construir um conhecimento físico da realidade.

 

Nesta etapa desenvolve o conceito de permanência do objeto,

constrói esquemas sensório- motor e é capaz de fazer imitações,

construindo representações mentais cada vez mais complexas.

 

Fase pré-operatório (ou intuitivo) (dos 2/3 aos 6/7 anos) :

A criança inicia a construção da relação causa e efeito,

bem como das simbolizações.

É a chamada idade dos porquês e do faz-de-conta.

 

Fase operatório-concreto (dos 6/7 aos 10/11 anos):

A criança começa a construir conceitos,

através de estruturas lógicas, consolida a conservação de quantidade e

constrói o conceito de número.

 

Seu pensamento apesar de lógico,

ainda está preso aos conceitos concretos, não fazendo ainda abstrações.

 

Fase operatório-formal (dos 10/11 aos 15/16 anos):

Estádio em que o adolescente constrói o pensamento abstrato,

conceitual, conseguindo ter em conta as hipóteses possíveis,

os diferentes pontos de vista e sendo capaz de pensar cientificamente.

 

Princípios da teoria de Piaget:

  • Aprendizagem por descoberta
  • Prontidão para a aprendizagem
  • Diferenças individuais

Piaget acreditava que as crianças só aprendiam através da sua ação sobre o ambiente.

 

Desta maneira, o trabalho em classe pode ser elaborado através das considerações de Piaget, como por exemplo, levando para a sala de aula materiais e livros que permitam que o aluno tenha facilidades que o direcione ao aprendizado.

 

Para que a teoria de Piaget seja bem aplicada, devemos lembrar que o aluno tem um nível de conhecimento próprio,

Portanto, é importante compreender melhor suas fases e

o nível de pensamento para propor atividades

que permitam que o aluno construa seu conhecimento.

 

Além disso, devemos avaliar constantemente

o desenvolvimento do aluno para permitir um fluxo contínuo de aprendizado,

permitindo, desta forma, que a sala de aula seja sempre

um espaço para novas descobertas.

 

Contrário de Vygotsky (1896-1934),

Piaget não via a interação social como origem da cognição e do comportamento.

 

Portanto, o aluno constrói seu aprendizado através de um trabalho introspectivo.

 

Além disso, Piaget considera as atividades com base na cultura e

que a escolaridade afeta os níveis de desenvolvimento e

nega a universalidade do pensamento formal.

 

E para Edgar Morin o conhecimento é fruto de uma tradução/reconstrução.

 

Portanto, desconstrói a razão do conhecimento, pois o conhecimento, dentro da linguagem e do pensamento, está sujeito ao erro.

 

E os transtornos mentais de fundo emocional,

nossos desejos e nossos medos intensificam as

possibilidades ao erro.

 

Já Freud acredita que a força repressora produza neuroses.

Por isso sua proposta é de conceber uma educação não repressora,

sem que o docente renuncie a si mesmo.

coloring-notebook-3

 

Construção:

A Educação para ser bem elaborada deve ser

construída levando em consideração várias teorias

para que alcance um resultado mais amplo e

satisfatório tanto para quem educa como para aqueles

que estão no processo da construção de seus saberes.

Este é o grande desafio!

 

“Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa nunca tem

medo e nunca se arrepende”

Leonardo da Vinci

Anúncios

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s