A Arte de Ser Mãe

Ser mãe é uma dádiva, mas acima de tudo  é uma oportunidade para sermos melhores.

Os filhos são seres que são colocados em nossas vidas para que juntos possamos evoluir e criar uma realidade melhor.

Entretanto os filhos não chegam com manual de instruções. Por isso que errar faz parte do processo de ser mãe. Todas as mães erram e devem entender que errar faz parte do desenvolvimento humano. Já dizia meu avô: “Na vida a gente erra tentando acertar.”

E é muito lindo reconhecer onde estamos errando e mudar a rota para atingir o verdadeiro objetivo: sermos seres humanos melhores.

A Angélica falou um pouco sobre seus erros e seus acertos na revista Claudia  de Maio de 2014. Aqui partilho com vocês o que ela falou sobre seus erros e sobre seus acertos:

OS ERROS

  • Deixar as refeições serem feitas em frente da TV: “Para garantir a próxima colherada, aceitamos qualquer chantagem. Já com a Eva corrigi esse erro a tempo.”
  • Fazer os pequenos dormirem no colo: “O ideal é que eles aprendam a dormir sozinhos.”
  • Sair de casa escondida: “É muito difícil deixar a criança se esgoelando de chorar na hora de dizer tchau. Mas ela precisa aprender que você vai voltar. Isso desenvolve a segurança dela.”
  • Ouvir demais os conselhos da babá: “Quando o meu primogênito nasceu eu era muito inexperiente, e o que a babá dizia era lei. No segundo filho resolvi ouvir a minha intuição e deixar o instinto materno trabalhar. Tomei as rédeas de volta. A criança precisa perceber que tem uma mãe confiante por perto.”

OS ACERTOS

  • Criar uma rotina para as crianças: “Ter horário para tudo, incluindo refeição, brincadeiras e sono, faz as crianças se sentirem mais seguras. Meus filhos sempre vão dormir às 21 horas. As boas regras facilitam tanto a vida da criança quanto a dos pais.”

 

  • Não exagerar nos presentes: “Quando viajamos, deixo que escolham um brinquedo em cada cidade, e só.”

 

  • Ensinar a doar: “Ensino meus filhos a ser generosos abrindo mão de roupas, sapatos e também de brinquedos. É um exercício bem difícil para as crianças, mas fundamental para  a formação do caráter.”

 

  • Não incentivar o ciúme entre irmãos: “É importante mostrar que o amor é igual para todos os filhos. Eles precisam saber que não existe um de quem os pais gostam mais. Também devem perceber que ter mais irmãos é um ganho, e não uma perda.”

 

  • Amamentar o maior tempo possível: “Considero esse período precioso demais para a saúde e os vínculos de afeto.”

Princípios da Educação

  • Sustentabilidade: Impacto a longo prazo que a educação exerce sobre os alunos.
  • Ciclo ecológico: Somos ao mesmo tempo professor e aprendiz.

  • Fluxo de energia: Comunidade aberta para liberdade de entrar e sair para descobrir a posição apropriada no sistema.

  • Companheirismo: Trabalho em parceria que implica em democracia e poder. Pois cada parte desempenha um papel muito importante.

  • Flexibilidade: Programações flexíveis. A cada mudança de tema, há a recriação do ambiente de aprendizado.

  • Diversidade: Estímulo ao uso de vários modos e estratégias de aprendizado. Diversos estilos de aprendizados são apreciados e incentivados. A diversidade cultural é essencial para desenvolver a comunidade.

  • Co-evolução: Quando todos (empresários, comunidades, pais, educandos e educadores)  estão envolvidos, todos evoluem.

Principles of Ecology – Principles of Education (Berkeley, Califórnia: The Elm Wood Institute, 1994).

Educação, Ecologia, Sustentabilidade, Aprendiz, Comunidade e Evolução

Reflexão


A criança que vive com o ridículo
aprende a ser tímida.
A criança que vive com crítica,
aprende a condenar.
A criança que vive com suspeita aprende,
a ser falsa.
A criança que vive com antagonismo
aprende a ser hostil.
A criança que vive com afeição,
aprende a amar.
A criança que vive com estímulo,
aprende a confiar.
A criança que vive com a verdade,
aprende a ser justa.
A criança que vive com o elogio aprende
a dar valor.
A criança que vive com generosidade,
aprende a repartir.
A criança que vive com o saber
aprende a conhecer.
A criança que vive com paciência,
aprende a tolerância.
A criança que vive com felicidade,
conhecerá o amor e a beleza.
(Ronald Russel)

Caderno criativo e o aprendizado.

A construção do caderno criativo e artesanal permite à criança desenvolver a consciência do seu poder pessoal de elaborar e estruturar suas ideias e pensamentos. 

Através do caderno artesanal , que é um dos recursos do Projeto Motivação Educacional, a capacidade do desenvolvimento linguístico é ativado. Visto que ativa o hemisfério direito e também fortalece a autoestima. 

O aprendizado de uma outra língua é favorecido com a construção de um caderno criativo.

O aprendizado de uma outra língua é longo e faz parte do desenvolvimento do hemisfério direito (criatividade) e é sedimentado no hemisfério esquerdo (lógica).  

É importante compreender que a criança precisa sentir-se livre neste aprendizado. 

Portanto, quanto mais lúdico, maior é o desenvolvimento da criança.